Guandu

Coube à Secretaria de Obras do Governo Chagas Freitas, através da CEDAG, recuperar a adutora do Guandu, que operava à meia vazão devido ao desabamento no túnel sob pressão Guandu-Lameirão (lote 2), ocorrido em 1967. Para recuperar o trecho avariado, foi necessário que se construísse um "by-pass" para o trecho em questão - a Linha de Superfície Guandu-Lameirão, com 13 km de extensão e 1,75 m de diâmetro.

Também, com vista ao serviço de recuperação do lote 2, foi construído um túnel com 400 metros de extensão, para facilitar o difícil trabalho de retirada do entulho do trecho desabado.

Foi implantada a Nova Elevatória do Alto Recalque do Guandú, passando a produção do Sistema Guandú de 12 m³/segundo para 24 m³/segundo.

Foi implantado o sistema de fluoretação de água do Guandú, pioneiro no Brasil à época.

Foi construída uma nova estação de tratamento de água do Guandú com capacidade de 16,0 m³/segundo. Com mais um conjunto de obras, o sistema Guandú passou a operar, em 1982, com sua capacidade plena de adução, isto é, 40,0 m³/s. Hoje, 20 anos depois, essa capacidade está em 45m³/s.

Para esse fim, foram executadas as seguintes obras que compõem o Sistema Integrado de Abastecimento do Município do Rio de Janeiro - Baixada Fluminense:

  1. Instalação de mais cinco conjuntos motor-bomba de 2,5 m³/s e 700 HP, idênticos aos doze já existentes;
  2. Construção do reservatório do Marapicú com capacidade de 20 milhões de litros.

Foi construída a adutora da Baixada Fluminense. A adutora percorre uma extensão de 45 km de tubulações, com diâmetros variando entre 0,8 m e 2,0 m, com uma capacidade para transportar 518 milhões e.400 mil litros de água por dia (6 m³/s). No seu complexo, foram construídos 103 km de subadutoras e 6 reservatórios com capacidade total de 10 milhões e 500 mil litros.

Foi construída a Sub-adutora da Barra da Tijuca.

Foi construída a Sub-adutora Urucuia - Juramento (região da Leopoldina).

Foram construídas diversas sub-adutoras para reforçar a distribuição da água pela cidade do Rio de Janeiro: Jacarepaguá, Ipanema, Leblon, Copacabana, Centro da cidade e Ilha do Governador.

Foi construído o sistema de abastecimento de água de Teresópolis e realizados melhoramentos nos sistemas de São Fidélis, Pádua, São Gonçalo, Niterói, Itaguaí, Macaé e Bom Jesus de Itabapoana.

Recuperação do Guandu Obras de recuperação da adutora do Guandú. Construção do by-pass para o trecho obstruído.

Maquete Guandu Nova Estação de Tratamento de Água do Guandú - 40 m3/s

Adutora da Baixada Fluminense Adutora da Baixada Fluminense

Inauguração do Guandu Retomada de operação a plena carga da Adutora do Guandu, após concluídas as obras de recuperação e duplicação do sistema.

Mensagem do Secretário

"Temos que enfrentar os desafios expressos nos nossos paradoxos sócio-econômicos para chegarmos a uma sociedade tão próspera quanto justa, tão voltada para o desenvolvimento quanto para os valores humanos.

A Secretaria de Obras do Estado, através da Companhia Estadual de Águas e Esgotos - CEDAE, sob a direção do Eng°. José Carlos Vieira, - com a construção da grandiosa obra da Adutora da Baixada Fluminense, ao longo de 45 km de extensão e de 850 km de redes de distribuição, descortino o imediato desenvolvimento dessa sofrida região e o início da implantação de um Novo Centro Industrial Metropolitano. É pois, uma obra ajustada às reais necessidades de seus destinatários, medindo-se por sua exata utilização social".

Emílio Ibrahim
Secretário de Estado de Obras e Serviços Públicos

Grandes obras

  • Estadio do Maracana

  • Emissario Submarino Ipanema

  • Guandu

  • Agua - Sao Conrado e Barra

  • Lagoa Rodrigo de Freitas

  • Viaduto Paulo de Frontin

  • Elevado da Perimetral

  • Praias de Ipanema e Leblon

  • Nova Lapa

  • Escolas Publicas