Lúcio Costa e a Barra da Tijuca

Consagrado arquiteto e urbanista, Lúcio Costa foi o autor do projeto de urbanização da Barra da Tijuca, à semelhança de Brasília.

A Secretaria de Obras Públicas e Serviços Públicos realizou diversas obras na Barra da Tijuca: implantou a Av. Sernambetiba, atual Av. Lúcio Costa, Av. Alvorada, atual Av. Ayrton Senna, ampliou a autoestrada Lagoa-Barra, hoje a Av. das Américas, concluiu o túnel B do Túnel Dois Irmãos (atual Zuzu Angel), dando solução definitiva para o acesso ao bairro e permitindo a sua expansão. Além dessas obras viárias, a Secretaria de Obras Públicas implantou a Adutora da Barra da Tijuca e serviços canalizados de gás e de telefonia.

Túnel 2 Irmãos A Secretaria de Obras conclui o Túnel Dois Irmãos (Zuzú Angel) e execução de diversos trechos da auto-estrada Lagoa-Barra (Av. das Américas), dando solução definitiva ao acesso à Barra da Tijuca. Na foto acima, visita à Galeria "B"do Túnel "Dois Irmãos" - Zuzu Angel.

Acesso ao Túnel 2 Irmãos Trecho da auto-estrada de acesso ao Túnel Dois Irmãos em São Conrado, atual Túnel Zuzu Angel.

Implantação da Av. Alvorada, hoje Av. Ayrton Senna.

Av. Sernambetiba Implantação da Av. Sernambetiba, atual Av. Lúcio Costa, durante a gestão do Secretário de Obras Emílio Ibrahim. Na foto, vista da Av. Lúcio Costa, antiga Av. Sernambetiba, na altura da Praia da Reserva.

Av. Sernambetiba A Secretaria de Obras Vista da Av. Lúcio Costa, antiga Av. Sernambetiba, sentido Recreio dos Bandeirantes.

Av. Ayrton Senna Vista da Av. Ayrton Senna (direção para Linha Amarela), antiga Av. Alvorada, durante a gestão do Secretário de Obras Emílio Ibrahim.

Av. Ayrton Senna Vista da Av. Ayrton Senna, direção para Av. Lúcio Costa, antiga Av. Sernambetiba.

Implantação do Bosque da Barra, com 650.000 m², obra realizada pela Secretaria de Obras de Estado.

Bosque da Barra Vista da entrada do Bosque da Barra.

Bosque da Barra Vista parcial do Bosque da Barra, com seus 650.000 m².

Lúcio Costa Secretário de Obras do Estado, Eng. Emílio Ibrahim, ao lado do arquiteto-urbanista, Lúcio Costa, que foi o autor do projeto de desenvolvimento da Barra da Tijuca. A foto marca a implantação do Bosque da Barra.

Monumento a Estácio de Sá Monumento erguido a Estácio de Sá, no Parque do Flamengo, projeto do arquiteto e urbanista Lúcio Costa, e execução da Secretaria de Obras do Estado da Guanabara.

De Quebra - Surpreendente dádiva - Lúcio Costa, 25/08/1974

Como resultado de uma feliz conjugação de circunstâncias, "sans en avoir l'air" - como diria Marques dos Santos, antigo diretor do Museu Imperial de Petrópolis - a administração do Estado do Rio de Janeiro vai presentear a cidade com novas perspectivas urbanas que darão o devido destaque a mais quatro preciosos testemunhos do nosso passado colonial.

1º - A necessidade de nova articulação viária por causa do próximo bloqueio da rua Uruguaiana pelas obras do Metrô, acelerou a demolição dos prédios remanescentes na área da Lapa, liberando assim, de ponta a ponta, o aqueduto da Carioca, os Arcos, como são conhecidos - monumento cujo patrono no IPHAN é José de Sousa Reis - o que levou à limitação do gabarito na encosta do morro a fim de incorporar para sempre ao logradouro a serena presença do convento de Santa Tereza.

2º - A feliz deliberação de deixar livre o triângulo contido entre a rua S. José e o edifício De Paoli, criou, com a praça também triangular fronteira ao BEG, novo eixo visual urbano, perpendicular à Avenida Rio Branco, que terá como remate contra o sol poente a extensa e rica silhueta do convento franciscano e respectiva ordem terceira. Esse conjunto será também valorizado pelo desafogo do Largo da Carioca, resultante igualmente das obras do Metrô, e pela iniciativa complementar de liberar a vista lateral, sobre a rua do mesmo nome, com os belos janelões da sacristia.

3º - O prolongamento do Elevado da Perimetral dará ensejo a que se descortinem as fachadas leste e norte do imponente mosteiro de São Bento com o seu famoso botareu.

4 º - Finalmente, a necessidade da construção de uma passarela na Praça XV levou a administração a restituir aos pedestres o antigo Terreiro do Paço, procurando-se bloquear a vista, tanto do viaduto como do monumento ao General Osório, com um reforço adequado da arborização.

Esse aflorar de perspectivas coloniais que pareciam definitivamente sepultadas pelo indiscriminado adensamento urbano da massa edificada vai ser uma agradável surpresa para todos os cariocas, pois com esta não contavam. "Il ne faut jamais désespérer".

Grandes obras

  • Estadio do Maracana

  • Emissario Submarino Ipanema

  • Guandu

  • Lucio Costa e Barra da Tijuca

  • Infraestrutura - Sao Conrado e Barra

  • Lagoa Rodrigo de Freitas

  • Viaduto Paulo de Frontin

  • Elevado da Perimetral

  • Praias de Ipanema e Leblon

  • Nova Lapa

  • Escolas Publicas