Artigos

Demolir a Perimetral?

Emílio Ibrahim (*)

"O prolongamento do elevado da Perimetral dará ensejo a que se descortinem as fachadas leste e norte do imponente Mosteiro de São Bento com o seu famoso botaréu". Essa frase está em depoimento do urbanista Lúcio Costa que me foi enviado, nos idos de 70, ocasião em que ele incluiu a construção da Perimetral entre os projetos que vieram, a seu ver, "presentear a cidade com novas perspectivas urbanas que darão o devido destaque a mais quatro preciosos testemunhos do nosso passado colonial".

Resgato essa manifestação como um contraponto à insensatez da realização de um projeto de demolição desse viaduto, medida inserida no planejamento da Prefeitura do Rio, entre as que visam à revitalização da sua área portuária. Até o senso comum dos leigos já se apercebeu de que esse desiderato do prefeito, se efetivado, conduziria a um transtorno viário irremediável, antevisto pela população, haja vista a reiterada condenação pública, manifestada nos veículos da imprensa e da mídia eletrônica.

Está patente que os objetivos atingidos pela construção da Perimetral, que se impuseram em face do congestionamento das vias urbanas existentes, marcadas pela inexigibilidade de ampliação, visaram a estabelecer a conexão das zonas Norte e Sul da cidade, criando a alternativa de implantação de uma via expressa, com a eliminação da compulsória passagem pelo Centro.

É importante registrar que o repúdio a esse projeto da prefeitura não se restringe à manifestação da população da cidade, tendo também o respaldo de técnicos e estudiosos do problemas urbanísticos do Rio. Impende ressaltar-se que o elevado da Perimetral é, até hoje, na área, a solução adequada para o desafogo urbano de nossa cidade, com ligação expressa aos importantes eixos viários: Ponte Rio-Niterói e Avenida Brasil.

No entanto, tais eixos não são excludentes para o desafogo do trânsito. Nada obsta a que se estude a possibilidade de construção de um túnel com o propósito específico de ligação direta da Praça Quinze à Praça Mauá, conservando-se a via expressa da Perimetral, alternativa que muito poderá contribuir para a necessária implantação do projeto do Porto Maravilha, que abrangerá a revitalização de uma área de cinco milhões de metros quadrados, com a construção prevista de edifícios de cinquenta andares, além de hotéis, escritórios e residências.

Destaque-se, finalmente, que, na história da administração do Estado, a obra da Perimetral foi concretizada como a mais significativa integração, no Plano Rodoviário Federal, sobretudo com vista à Ponte Rio-Niterói.

(*) Engenheiro Civil, Membro da Academia Marianense de Letras, Ex-Secretário de Obras dos Estados da Guanabara e do Rio de Janeiro.

O Globo, 13 de março de 2012

Tratamento Acústico e Paisagístico do Elevado da Perimetral

Ressalte-se, por oportuno, que a Prefeitura da cidade do Rio de Janeiro, na figura do Prefeito Cesar Maia, e o Instituto Pereira Passos promoveram um concurso de tratamento acústico e paisagístico do Elevado da Perimetral.

A equipe vencedora coordenada pelos arquitetos Ricardo Kawamoto (33 anos), Eliane Condor (29 anos) e Márcio Leite (31 anos) foi composta por 09 profissionais de diversas áreas como paisagista, iluminador, profissional de acústica e calculista. O projeto prevê a criação de uma nova roupagem clara e limpa para o Elevado, utilizando painéis metálicos para recobrir a estrutura, substituindo visualmente a grande massa de aço e concreto aparente e escondendo o fundo, as vigas e os pilares do viaduto.

Praça Mauá, vista noturna Praça Mauá, vista noturna que deveria seguir ao longo da Av. Rodrigues Alves.

Praça XV, vista do Chafariz Imagem dos autores do projeto na Praça XV, vista do Chafariz.

Opinião dos Leitores - O Globo, 13.10.2013

Com a total destruição da Perimetral teremos o maior engarrafamento da face da terra, pior que São Paulo, Bombain e Cidade do México. Tudo porque um prefeito garotão achou a Perimetral uma obra feia. Construída em 1978, pelo genial Emílio Ibrahim, essa obra foi o grande desafogo para a nossa cidade, que mesmo assim vive um caos no trânsito que piora a cada ano. Imagine sem a Perimetral! Os empreiteiros são os únicos que vão adorar os gastos faraônicos com essa obra. Ainda não fui a qualquer passeata, mas se tiver uma contra a demolição da Perimetral vou e levo toda a família. ROMULO MONTEIRO RIBEIRO - RIO

Para mim, morador deste chamado "outro lado da Baía" há algumas décadas, a Perimetral significa a possibilidade de ir do Centro de Niterói até Botafogo sem ser interrompido por sinal de trânsito. E, mesmo quando há engarrafamentos, tenho lindas paisagens a apreciar. Acho não terei mais tanto conforto depois que ela for demolida. Acho que vou me sentir mal se tiver que ficar engarrafado em um longo túnel. FERNANDO A. P. SILVA - NITERÓI, RJ

Grandes obras

  • Estadio do Maracana

  • Emissario Submarino Ipanema

  • Guandu

  • Agua - Sao Conrado e Barra

  • Lagoa Rodrigo de Freitas

  • Viaduto Paulo de Frontin

  • Elevado da Perimetral

  • Praias de Ipanema e Leblon

  • Nova Lapa

  • Escolas Publicas